Mudança no roteiro



Neste site, nas sessões dos outros primatas hominídios estão descritos características biológicas e comportamentais.
Se eu seguisse essa linha nesta sessão, nada iria acrescentar a sua cultura, pois sendo você um homo sapiens já deve saber suas próprias características biológicas e comportamentais.
Por isso resolvi colocar um breve resumo sobre a história evolutiva da espécie homo sapiens.



A história evolutiva do Homo Sapiens


Provavelmente o ancestral de todos os grandes símios foi o Dryopithecus, animal de pequeno porte, tinha cerca de 1 metro de altura, que viveu a 20 milhões de anos atrás.

Mais ou menos a 10 milhões de anos apareceu, através da evolução do Dryopithecus, o gênero Pongidae (Orangotango e Gibão). A 8 milhões outro gênero surgiu, os Hominidaes que engloba chimpanzés, Gorilas e homens. E somente a 4 milhões de anos atrás surgiu o subgênero homo.




Os ancestrais:

No ano de 1924 o professor Raymond Dart, de Johannesburgo anunciou a descoberta de um crânio que apresentava uma estranha combinação de características comuns aos crânios humanos e outras dos símios.
Posteriormente outros ossos foram encontrados e o esqueleto montado. Conclui-se que o tal animal caminhava de forma ereta e seu crânio tinha um volume médio de 600 cm3. A esse animal foi dado o nome de Australopiteco.

O Australopiteco tinha um metro e meio de altura e provavelmente usava ferramentas, entretanto não há provas que as inventava.
Análises da mandíbula do crânio mostraram que a língua não tinha muitos movimentos e por isso os antropólogos concluíram que o Australopiteco não tinha uma linguagem mais sofisticada que a de um chimpanzé.
O Australopiteco se espalhou por toda a África, de acordo com as exigências de cada ambiente o animal foi se diversificando até formar novas espécies. Uma das espécies formadas foi o Homo habilis que tinha um crânio de 650 cm3 e uma língua possivelmente mais livre que a do australopitecos, no entanto ainda estava longe de formar uma linguagem complexa.


O Homo habilis foi o primeiro primata, comprovadamente, a produzir, ainda que de forma muito rústica, ferramentas. Entretanto não era caçador, os instrumentos fabricados eram usados para auxiliar a coleta de frutos e o corte da carne de restos de caças de outros mamíferos.

As hipóteses:

Antigamente acreditava-se em uma linha evolutiva que seguia a seguinte ordem: Australopiteco, homo habilis, Homo erectus, homem de Neandertal e o homo sapiens. Entretanto com uma análise mais atenciosa dos crânios a teoria da linha evolutiva caiu por terra.
O crânio do Neandertal apresentava características evolutivas e regressivas. Um exemplo é o volume: O homo erectus tinha um volume craniano médio de 1000 cm3, o Neandertal de 1450 cm3 e o Sapiens de 1300 cm3. Seria pouco provável que o cérebro aumenta-se drasticamente (de 1000 cm3 a 1450 cm3) e depois reduzi-se.

Também ocorreu o mesmo com o pescoço: do Australopiteco ao homo erectus o tamanho aumentou. No Neandertal era muito curto e no sapiens novamente era longo.
Através de tais evidencias os antropólogos classificaram o Neandertal como um ramo paralelo da evolução.
Anos depois, com o aperfeiçoamento da datação de ossos através do carbono-14, descobriu-se que o Homo erectus, o Homo sapiens (que se originou de uma variação do erectus) e o homem de Neanderthal eram contemporâneos.
A parti desta descoberta veio uma dúvida: O por que o homo erectus e o Neanderthal se extinguiram, dando lugar a supremacia do Homo sapiens?
A hipótese mais aceita diz respeito a guerras. Através de guerras o homo Sapiens extinguiu as outras espécies de homo.

Neste ponto, você deve está deduzindo e perguntando: “se o volume do crânio de um Neanderthal era maior que o de um Sapiens (1450 cm3 Vrs 1300cm3), possivelmente ele era mais inteligente. E se era mais inteligente era mais organizado. Então qual era a vantagem do homo sapiens que o levou a extinguir o neandertal?”
Primeiramente o tamanho do cérebro não quer dizer necessariamente mais inteligência em grupo. Possivelmente o Neanderthal tinha uma grande inteligência individual, porém estudos sobre a mandíbula demonstraram que a língua não tinha grande mobilidade como a língua do homo sapiens. Daí cria-se a hipótese que o Neanderthal não tinha uma comunicação sofisticada entre os indivíduos. Ou seja, um neanderthal pensava, mas tinha grande dificuldade de transmitir seus pensamentos a outro de sua espécie. Isso dificultava a organização militar e a evolução cultural.
Com o passar do tempo o Homo sapiens apesar de mais fraco fisicamente, com sua linguagem altamente sofisticada, ultrapassou o Neanderthal na organização de grupos, na criação de armas e na arte de guerrear. Com isso o Neanderthal foi perdendo guerras até ser extinto.
Já o homo erectus não teve nenhuma chance contra o homo sapiens, muito atrasado tecnologicamente foi rapidamente extinto.
Havia também um outro tipo de homem, o homem de Java, que viveu no mesmo tempo do Neanderthal, do erectus e do sapiens. Entretanto não era descendente do australopiteco, era um ramo paralelo.
O homem de Java tinha cerca de um metro e meio e volume craniano de 1000cm3. Já fazia utensílios, mas desconhecia o fogo. Dentre os homens da época, era o de linguagem mais rústica. Com tamanho atraso tecnológico rapidamente foi extinto pelo Homo sapiens.

Sem as outras espécies de homens para competir, o Homo sapiens espalho-se por todo o planeta.
Hoje, no auge da expansão, nos, os Homo Sapiens, colocamos em risco de extinção todas as outras espécies de primatas.